16 dezembro 2009

Experimentador do mundo



Na busca no novo. Experimentando muito mais e com uma intensidade que já não é possível mensurar. Ultrapassei a lógica das equações classificando, distribuindo, organizando e elaborando meu plano genial. Arriscar sem me perder! É nisso que tenho pensado esses dias. Acredito sinceramente está conseguindo pertencer e vivencia algo que sempre almejei e que eu imaginava ser reservado há poucos. É a certeza de que estou caminhando no rumo certo. Certeza essa que fez com que eu me apaixonasse pela vida mais uma vez. Voltei acreditar de uma forma inquestionável no amor. Na nossa unidade, na matéria do que somos feito. O amor dos meninos, o amor das meninas, o amor dos jovens senhores e das velhas jovens, dos exaustos, das contentes, dos santos, das solitárias, dos profanos. Aquele amor gratuito que não se percebe, que não está nos autdoor dessa cidade mascarada de cidade grande, mas que pulsa a cada segundo. Que grita a cada fração de segundos.
Mazes

3 comentários:

Nathália Nóbrega disse...

Muito bom!

Charlie DeLarge disse...

já ta apaixonado denovo? que menino apaixonador!

Thiago disse...

Essas palavras faz lembrar aquela frase que nós adotamos pra vida desde o tempo da adolescência que é: - Viver menino, morrer poeta!!!
Salve, Salve!!!